Image Alt

Federação Paulista de Ciclismo

73ª Prova Ciclística 9 de Julho é a atração deste domingo em São Paulo

Prova reunirá três mil atletas na Margina Pinheiros, a partir das 6h20

São Paulo (SP) – A mais importante e tradicional disputa do ciclismo nacional está de volta. Neste domingo, a partir das 6h20, cerca de 3 mil atletas participarão da 73ª edição da Prova Ciclística Internacional 9 de Julho. O evento reunirá competidores federados, com destaque para a Elite, que reúne os principais nomes da modalidade, e não federados na categoria Ciclismo para Todos. A Prova será realizada em um circuito de 20 km montado na via expressa da Marginal Pinheiros, com largada e chegada próximo à Ponte Transamérica, na altura do número 17.971.

Neste sábado, dia 8, das 9h às 19h, acontece a entrega de kits (composto de sacochila, camiseta e squeeze) no Parque das Bicicletas, na Alameda Iraé, 35. Todo participante deverá fazer a doação de um litro de leite durante a entrega de kit. Não haverá entrega de kits no dia do Evento, nem após o mesmo.

A programação oficial do domingo está assim definida: 1ª Bateria – 6h20 – Federados 30+ Masc – 2 voltas; 6h22 – Categorias Femininas – 2 voltas e 6h24 – Federados 50+ Masc – 2 voltas; 2ª Bateria – 7h50 – Elite/Sub23/Júnior Masc – 4 voltas; 7h52 – Federados 40+ Masc – 3 voltas; 3ª Bateria – 9h55 – Ciclismo para Todos – 1 volta. Haverá estacionamento privado na região a partir das 4 horas.

O evento conta com algumas das maiores equipes do ciclismo nacional na atualidade, como Swift Carbon Pro Cycling, Unifunvic/Gelo/Pindamonhangaba, Santos Cycling Team/ Fupes, Indaiatuba Cycling Team, Lulu5 Team, Team Altino Osasco, Taubaté Calingo Team / Tarumã / Araújo Simão, Time Jundiaí de Ciclismo, ERT Pro Cycling Team, ARSC/PM Boituva /VHE Pro, Team São Caetano, ADF/Guarulhos, entre outras.

Já a lista de ciclistas ainda inclui outras feras. No masculino, estão confirmados Lauro Chaman (Swift Carbon Pro Cycling), tricampeão da Copa do Mundo e medalhista paralímpico; Alessandro Ferreira Guimarães (Swift Carbon Pro Cycling), vice-campão brasileiro em 2019; Rodrigo Araújo de Melo (Unifunvic/Gelog/Pindamonhangaba) e Kleber Ramos da Silva (Unifunvic/Gelog/ Pindamonhangaba), segundo e terceiro colocados no Brasileiro de Estrada deste ano; Alan Valêncio Maniezzo (Taubaté Cycling Team/Tarumã/Araújo Simão), Cristian Egídio da Rosa (Taubaté Cycling Team / Tarumã / Araújo Simão) e Kácio Freitas (Swift Carbon Pro Cycling Brasil), vencedor do GP São Paulo 2022.

No feminino, também estarão na disputa Ana Paula Polegatch (Indaiatuba Cycling Team), campeã brasileira de Contrarrelógio Individual neste ano e vice de Resistência no ano passado; Ana Paula Casetta (Clube Maringaense de Ciclismo), campeã Sub-23 da 72ª Prova 9 de Julho e vice-campeã brasileira neste ano; e Thayná Araújo de Lima (Santos Cycling Team / Fupes).

Prova

A história da prova se confunde com a própria história da modalidade. Instituída em 1932 pelo jornalista Cásper Líbero em homenagem à Revolução Constitucionalista e realizada pelo jornal A Gazeta Esportiva a partir de 1933, a Prova Ciclística 9 de Julho é um patrimônio do esporte brasileiro. O evento se tornou um marco na modalidade, sendo objeto de desejo dos atletas e equipes.

Ao longo dos anos, os principais nomes do País e destaques do exterior prestigiaram o evento, colocando-o em um lugar de destaque nos cenários nacional e internacional. Desde 2015, a Prova recuperou o espaço onde surgiu, nas ruas e avenidas paulistanas.

O primeiro vencedor da competição foi José Magnani, que acabaria se tornando um dos maiores vencedores ao lado de Ailton Souza, Rolando Montesi, Wanderlei Magalhães e Francisco Chamorro, todos com três títulos. No feminino, a principal campeã é Cláudia Carceroni, com quatro conquistas. Na última Prova, a 72ª edição, disputada em 2018, Chamorro e Luciene Ferreira foram os campeões.

A 73ª Prova Ciclística Internacional 9 de Julho tem organização técnica da Federação Paulista de Ciclismo e contará pontos para o Ranking Paulista de Estrada 2023 e para o Ranking Brasileiro da CBC (Confederação Brasileira de Ciclismo), na classe 3. O carro-madrinha oficial é um Commander Overland Diesel, fornecido pela Jeep Divena.

Credenciamento de Imprensa pelo link https://www.presskit.net.br/c/610fFgMu76M6Y6

Add Comment

Fale com a gente

A federação está iniciando um novo ciclo que pessoas fantásticas

Erro: Formulário de contato não encontrado.

Ligue agora para mais informações