Image Alt

Federação Paulista de Ciclismo

Dicas de treinos para encarar provas de contrarrelógio

As provas de contrarrelógio são os momentos mais puros do ciclismo, se assim podemos dizer. É uma competição onde não há trabalho de equipe nem vácuo — no caso do contrarrelógio individual —, na qual o atleta tem como adversários apenas o vento, o tempo e seus próprios limites. A modalidade tem caído no gosto dos ciclistas, conquistando cada vez mais adeptos — mesmo aqueles que apenas incluem os treinos sem vácuo como complemento na sua preparação para outras competições.

O grande segredo para mandar bem nas provas de contrarrelógio é correr em uma velocidade progressiva, algo que foi bastante difundido e que é praticado até hoje pelos melhores da modalidade. A tática consiste em iniciar em um ritmo bom e ir aumentando até atingir o limite na linha de chegada. A grande sacada é saber como alcançar o seu último esforço sem quebrar antes da linha de chegada — sem se arrastar nos quilômetros finais ou terminar a prova sentindo que poderia ter forçado mais.

Mas como chegar a essa equação perfeita? Se você tem o medidor de potência, certamente, com os treinos e seus testes, vai perceber qual é o número mágico que o seu aparelho terá de mostrar. Caso contrário, terá de ser no feeling mesmo, algo que só vai ser adquirido treino a treino, semana a semana. “Também deve ser ressaltado que o relevo e as condições climáticas podem fazer seu ‘cálculo de feeling’ variar. A adrenalina e a ansiedade podem atrapalhar, mas o atleta que treinou vai saber contornar qualquer possível percalço”, diz o treinador e diretor esportivo da BK Sports, Kim Cordeiro.

Nas provas de contrarrelógio o seu adversário não é visual — e isso não se deve ao fato de os ciclistas largarem em momentos diferentes, mas sim porque o principal duelo na estrada será contra o vento. Para isso, uma posição mais aerodinâmica é necessária. Achar o modo perfeito para vencer o vento requer um trabalho específico de bike fit — um profissional encontrará a melhor forma de deixá-lo confortável para exercer força e aerodinâmica.

Em relação à preparação, os treinamentos sem vácuo são importantes para o ciclista se “conhecer” melhor dentro da modalidade e também ganhar potência pedalando contra o vento, sem contar com a “roda amiga” do companheiro à frente. A seguir, Kim Cordeiro dá algumas sugestões de treino para aqueles que querem fazer um bom contrarrelógio ou apenas acrescentar as séries em sua preparação.

TREINO

Velocidade: 5 km giro leve + 2 x 20 km + 5 km giro leve, sendo:

1ª série de 20 km = 4x (2 km leve/3 km forte)
Intervalo de 2min giro leve
2ª série de 20 km = 4x (3 km leve/2 km forte)
Rodagem: 45 km leve com subidas leves

Progressivo: 50 km moderado a forte em ritmo progressivo + 5 km giro leve

Intensidade:

Giro leve – 40% a 50% (aquecimento ou relaxamento)
Leve – 65% a 80%
Moderado – 80% a 90%
Forte – 90% a 100%

(porcentagens em relação à frequência cardíaca máxima)

Fonte: ativo.com.br

Add Comment

Fale com a gente

A federação está iniciando um novo ciclo que pessoas fantásticas

[contact-form-7 404 "Não encontrado"]

Ligue agora para mais informações

There was an error while trying to send your request. Please try again.

Federação Paulista de Ciclismo will use the information you provide on this form to be in touch with you and to provide updates and marketing.